RadioCulturaViva.Com
                                   MÚSICAS E INFORMAÇÕES 24 HORAS POR DIA                                                                                       

QUILOMBO DO CATUCÁ

05 NOV 2016
05 de Novembro de 2016

Imagem ilustrativa


QUILOMBO DO CATUCÁ

Mata do Catucá. Assim era chamada toda extensão de mata atlântica que vai do Recife até a zona da Mata. 

Em 1814, pessoas escravizadas buscando sua liberdade, embrenharam-se na mata, como de costume entre os que fugiam nessa região. Só que nesse ano essas pessoas se uniram ainda mais, formando o que ficou conhecido como o Quilombo do Catucá. 

Sua localização ficava onde hoje pertence à cidade de Abreu e Lima. O ponto estratégico deu forças ao Quilombo, que utilizava a mata para todos os fins estratégicos e de vida. 

Os Quilombolas, além do cultivo e comercialização de seus produtos, viviam também atacando fazendas e cercando transportes nas estradas da região.
 
Catucá era um dos alvos constantes da burguesia pernambucana, que detinha o poder. Várias expedições foram enviadas para destruir o quilombo, mas os quilombolas comheciam bem a mata e tinham informantes nas fazendas e na cidade, que os avisavam sobre possíveis ataques e todo mundo se preparava. 

Havia vários pontos de fuga. Um deles nas partes concentradas onde hoje é a cidade de Camaragibe. Quando se viam acuados, uma parte se espalhava na mata e outra parte na própria cidade do Recife, junto com negros livres. 

O estrepe era a arma mais constante de Catucá. Lanças enormes fincadas nas entradas do quilombo de forma camuflada, que abatia muitos soldados. Daí a expressão "se estrepar", dito quando uma pessoa cai. 

Os quilombolas de Catucá, comandados pelo Mestre Malunguinho (apelido dado a seu líder João Batista. Malungo significa "Companheiro") chegaram a organizar uma invasão ao Recife, o que deixou a elite em desespero. 

Nas tentativas de enfraquecer o quilombo, estradas foram abertas e tentou-se povoar as redondezas com uma colônia alemã. Não surtiu o efeito que ps donos do poder queriam e os ataques seguiam.

Sempre após alguma batalha de grande porte, os soldados eram remanejados como reforços para atacarem Catucá. Uma dessas batalhas foi "A cabanada". Logo após o fim desse combate, soldados treinados em matas, reforçados por índios que combatiam à serviço da elite, cercacaram e atacaram Catucá com intensidade. Em setembro de 1835 Malunguinho foi assassinado... foi o divisor de águas para a queda do Quilombo do Catucá. 

CURIOSIDADE

Hoje, Malunguinho é uma entidade respeitada e reconhecida entre os(as) juremeiros(as).

Voltar